Escreva o que quer ler

By Anna Laitano - March 27, 2018




Dizem que o começo é sempre o mais difícil e, em muitos casos, a afirmação é verdadeira. Se você quer começar a escrever, mas não sabe por onde começar, temos algumas dicas para você.





Escreva o que quer ler



Em um mercado literário tão vasto quanto o que temos atualmente, pode ser complicado decidir qual direção seguir. Neste caso, uma boa maneira de decidir o que escrever, é pensar no que você, como leitor(a), gostaria de ler. Sim, é isso mesmo: escreva o que quer ler!


Como assim?



Se você se focar em mil e uma coisas agora, no começo do processo, há grandes chances de que acabe por se sentir desmotivado e sobrecarregado em pouco tempo. O caminho é longo, mas não conseguiremos andar mais do que um passo por vez, certo? Então, vamos focar na escrita pela escrita.


Você, como autor(a), precisa amar escrever, é claro. Pensando nisso, se concentre no tipo de história que você mais gostaria de encontrar. É uma aventura? Uma comédia? Um romance? Um suspense?


Decidido isso, continue desenvolvendo a partir do seu próprio gosto, sempre focando no que você sempre quis, mas nunca conseguiu exatamente achar em outros livros. Se você escrever uma história exatamente como gostaria de ler, as chances são de que outras pessoas estejam procurando por algo similar.


Você sempre quis uma protagonista feminina? Acha que os vampiros deveriam voltar? Nunca encontrou um terror realmente tão assustador?





Pense individualmente nos elementos e, em um caderno, bloco de notas ou documento de Word, comece a colocar todos os elementos que você quer reunir. Apenas liste tudo, como itens mesmo, sem nenhuma estrutura, é apenas um processo de brainstorming, por enquanto. Elenque toda e qualquer ideia que você possa ter sobre elementos que acredite que fariam uma história boa.


Depois de completar sua lista, você então começará a analisar os seus pontos de partida, decidindo como eles podem se ligar para passar de ideias soltas até se tornarem, de fato, uma história. Neste momento, conforme junta os elementos que usou como pontapé inicial, seu enredo deverá começar a tomar uma forma. Não tem problema se você achar que precisa dilapidar mais a ideia, ou se nem mesmo considerá-la completa. O importante é notar que você foi da confusão aos itens, e dos itens conseguiu criar uma premissa. São pequenos passos, mas estamos seguindo em frente.


Outra coisa importante sobre escrever sobre o que você quer ler, é que, ao que tudo indica, você é apaixonade pelo(s) assunto(s) que vai narrar. Quando escrevemos sobre coisas que são verdadeira para nós, temas com os quais temos afinidade e/ou paixão, passamos uma emoção muito mais genuína e natural, que tenderá a encantar seus futuros leitores. Mesmo pessoas que não gostem, necessariamente, do tema, poderão ser convencidas pela sua paixão e, em geral, gostar da história.


Nunca se esqueça: Escrever uma história não é apenas sobre ser lido, é pelo prazer de escrever. Se a sua própria história não te agradar, ou se você mesme não a leria, então qual é o sentido de sequer escrevê-la? Além de não curtir o processo, o seu desânimo provavelmente transparecerá para o leitor, que também não irá aprovar o resultado. Por isso, na dúvida, atenha-se ao básico e escreva o que quer ler.

  • Share:

You Might Also Like

0 comments